segunda-feira, 21 de maio de 2012

Mulheres Guerreiras!




Estamos nos aproximando de mais um Congresso do nosso Ministério Jóia Rara, que este ano traz o tema “GUERREIRAS”. E por que? Porque queira você ou não, há uma guerra acontecendo agora. Querem destruir seus sonhos, sua família, seus negócios, seus planos. Querem destruir você. Mas somos mulheres criadas com um propósito, de uma maneira especial e com um destino profético: fomos formadas com uma vida de bênçãos traçada pelo nosso Pai Eterno. Lutamos não por uma vitória, mas a partir de uma vitória: a da cruz! E é quando a realidade da nossa vida não condiz com as promessas, que o Senhor nos revela Sua face de Guerra e nos juntamos a Ele como GUERREIRAS do Seu exército! Aí, nos levantamos na força do nosso General e fazemos o que então parecia impossível: derrotamos os inimigos, aniquilamos os projetos das trevas e experimentamos a verdadeira vida que Deus tem prá nós! Simples assim, maravilhoso assim! Então, no estudo de hoje, vamos aprender com as mulheres que inspiraram o tema do Congresso. Três mulheres comuns, mas que se posicionaram como guerreiras. 

DÉBORA - Nos capítulos 4 e 5 de Juízes conhecemos Débora, Juíza e Profetiza, mas também mulher e esposa. É incrível como ela foi levantada para ter um cargo governamental e espiritual tão elevado numa época em que as mulheres eram desvalorizadas e colocadas em segundo plano. Débora foi a única juíza em Israel. Juízes eram aqueles escolhidos pelo próprio Deus (e escolhidos de maneiras diferentes, com o sobrenatural operando no mundo natural) para conduzir o povo segunda as leis humanas e segundo as leis de Deus. 

No episódio em que a conhecemos, Israel passava por um período de transgressão, afastado de Deus e há 20 anos sendo oprimido pelos cananeus. Eles estavam tentando tomar posse da Terra Prometida (Canaã) mas até então, eram subjugados por seus inimigos. Até que Débora posiciona-se firmemente contra essa vida de derrota do povo escolhido; ela chama Baraque, o comandante do exército, e lhe diz que Deus estava dando uma estratégia de vitória para eles. Baraque diz que faria o que ela dissesse mas com uma condição: que ela estivesse junto no campo de batalha. Ela disse que iria mas, que por causa dessa atitude de falta de fé, ele não receberia as honras da vitória, pois o Senhor entregaria Jabim (o comandante inimigo) pelas mãos de uma mulher.

Tudo parece muito estranho e fantasioso nessa história em se tratando de uma mulher ser colocada juíza e um general de guerra (Baraque) dizer que só iria prá guerra se ela fosse junto. Mas fica muito claro quando conhecemos melhor essa mulher e entendemos o destino profético que Deus lhe havia reservado. É que muito tempo antes do povo de Deus entrar em Canaã, Deus lhes deu uma promessa que está em Êxodo 23:28: Também enviarei vespas (ou ‘abelhas’) adiante de ti, que lancem fora os heveus, os cananeus, e os heteus de diante de ti”. E sabe o que o nome Débora quer dizer? ABELHA! Sim, Deus já a havia escolhido para essa missão. E os planos de Deus nunca são frustrados! Aleluia!

JAEL – Jael é outra mulher importante nessa história. Ela é aquela que, como profetizou Débora, levaria as honras pela morte do comandante Jabim, do exército cananeu. Jael era esposa de Héber, um “empresário” da área de metais. Interessante notar que ele vinha de uma descendência israelita (tinha entre seus antepassados o cunhado de Moisés) mas decidiu lutar ao lado dos cananeus, provavelmente porque queria ficar do lado aparentemente mais forte e até por questões financeiras, já que ele era do ramo de metais e o exército de Jabim era famoso por seus carros de guerra. Mas Jael permaneceu fiel ao pacto da família com o povo de Deus e decidiu por um fim a essa violação de aliança cometida por seu marido. Então foi ela que atraiu Jabim para uma emboscada, e, com a estaca de sua tenda, o matou. Mesmo não se sabendo ao certo se Jael era do povo de Israel – alguns estudiosos dizem que provavelmente ela não era – ela também tinha em seu destino profético ser usada para a conquista de Canaã: Jael significa cabra, e foi oferecendo leite que ela atraiu o comandante à sua tenda. Então, junto com a “ABELHA”, a “CABRA” ajudou o povo de Deus a tomar posse de Canaã, a Terra “que mana LEITE E MEL” (Dt. 26:9)! 

A MULHER QUE DERROTOU ABIMELEQUE – A terceira guerreira que desejo compartilhar com você tem seu nome desconhecido e foi importante num outro episódio que também está relatado em Juízes, no capítulo 9. Essa mulher trabalhava num moinho de trigo, trabalho que naquela época era destinado apenas às mulheres por ser considerado humilhante, e entrou em cena quando Abimeleque, um homem ganancioso que para atingir seus objetivos usou meios terríveis como mentira, engano e assassinato de seus setenta irmãos, queria se tornar rei de Israel. Ele estava com seu exército destruindo cidades e matando seus opositores, mas numa dessas emboscadas, quando iria incendiar uma torre onde estavam abrigados homens, mulheres e crianças, foi atingido na cabeça por uma pedra de moinho lançada por essa mulher. Ele então pediu que um de seus soldados cravasse a espada em seu peito para que não parecesse que ele foi morto por uma mulher com uma pedra, pois seria humilhante demais. E assim, morreu.
Olhando para essas três mulheres podemos nos lembrar que quando Deus tem um propósito, não importa quem você é: Ele te usa! E mais: todas nós temos inimigos, mas também temos armas de guerra! Por isso, não menospreze aquilo que Deus coloca em suas mãos: Débora usou sua autoridade; Jael, aquilo que ela tinha a oferecer (leite) e a estaca da sua tenda; a outra mulher usou aquilo que muitos consideravam humilhante, a pedra do moinho. Não importa o que é, mas você derrotará seus inimigos com aquilo que Deus colocar em suas mãos!

Seu inimigo é a vida financeira que está sempre ‘no vermelho’? Use seus dons e talentos, use a sabedoria! Elas podem ser suas armas nessa hora! 

Seu inimigo é um casamento à beira do fracasso? Use seu ‘poder’ feminino, dado por Deus! Use o amor e os frutos do espírito!

Seu inimigo é um sonho que parece não se realizar? Use a esperança e a promessa: “Deleita-te no Senhor e Ele realizará os desejos do seu coração” (Sl 37:4)    

Seu inimigo é a saúde precária? Mude seus hábitos, faça as escolhas certas e clame pelo Jeová Rafá – o Deus que sara!

A Bíblia nos garante que nossas armas, em Deus, são poderosas! Então, não tenha medo do futuro, apenas posicione-se como GUERREIRA, como essas mulheres se posicionaram. Abra mão daquilo que for necessário e confie! Não olhe para suas lutas ou para o tamanho do seu inimigo, mas olhe para a grandeza do nosso General! Em Cristo, podemos romper os céus e trazer a vitória que é nossa por direito! Ela faz parte do nosso destino profético, então não aceite menos do que isso! Faça aquilo que estiver ao seu alcance. E Deus fará o resto. AMÉM!#

*************************
 Para refletir: 
 
1) O cumprimento do destino profético (aquilo que Deus tem para nós como propósito) depende de algumas tomadas de posições da nossa parte. Você consegue enxergar mudanças necessárias em sua vida para que se sinta realmente vitoriosa e dentro dos propósitos de Deus?
2) Quais são seus inimigos hoje? O que te aflige, o que te traz medo ou insegurança? O que te desvia da presença de Deus? Como derrotá-los?
3) Como podemos usar a oração como arma? Você a usa? Tem visto Deus agindo a partir do seu clamor?


Um comentário:

  1. “Deleita-te no Senhor e Ele realizará os desejos do seu coração” (Sl 37:4)

    ResponderExcluir