terça-feira, 27 de abril de 2010

Série: Desvendando Provérbios 31 - Estudo 2

(Estudo dos Grupos de Crescimento da semana de 26/04 a 01/05)

Vamos prosseguir esta semana estudando sobre a Mulher Virtuosa. O estudo de hoje fala de submissão, e aproveitei um trecho (com algumas modificações) do meu livro. Mesmo as solteiras poderão tratar do assunto, afinal de contas, a submissão faz parte do caráter de mulher de Deus, e isso não se refere apenas ao casamento, ok? E quem não é casada já vai aprendendo... hehehe!

Uma mulher confiável! (PARTE I)
(Leia Prov. 31: 11 e 12)

Para falar de uma mulher em que o marido possa realmente confiar, precisamos entender que tipo de mulher Deus deseja que sejamos como esposas. As Escrituras deixam bem claro que, perante Deus, homem e mulher têm igual importância mas também ressaltam que o papel da esposa é estar sujeita ao marido como Cristo sujeitou-se a Deus. Assim, a nossa sujeição, para ser como a de Cristo, deve ser voluntária. Jesus entregou-se ao plano divino por amor e com amor. Então, a submissão de uma mulher ao seu marido deve ser traduzida como um ato de amor. É uma prova que ela está valorizando seu companheiro, que o respeita, confia nele e sente necessidade de tê-lo por perto.

Uma das passagens bíblicas que mais gosto está em Êxodo, capítulo 17. Ali vemos o povo de Israel, sob o comando de Josué, lutando contra Amaleque. Moisés e seus companheiros Arão e Hur subiram ao cume do outeiro – ficaram na intercessão - e quando Moisés levantava seus braços, Israel prevalecia; quando os abaixava, prevalecia Amaleque. Imagine que essa batalha não durou apenas cinco ou dez minutos e os braços de Moisés começaram a ficar cansados. Mas veja o que diz o versículo 12: “Porém as mãos de Moisés eram pesadas, por isso tomaram uma pedra, e a puseram debaixo dele, para assentar-se sobre ela; e Arão e Hur sustentaram as suas mãos, um de um lado e o outro do outro; assim ficaram as suas mãos firmes até que o sol se pôs.” Desde a primeira vez que entendi esse texto, disse ao meu esposo que ele é o Moisés dentro do meu lar. E eu quero ser aquela que sustenta suas mãos em todas as pelejas. Não creio ser essa uma visão romântica, mas, genuina, do que é ser submissa. Quando eu conseguir ser assim, estarei, de fato, sendo sua auxiliadora. E será um privilégio!

A verdade é que quando a mulher descobre seu papel, encontra nele prazer. É que só assim entendemos nossa importância e nosso poder para dar vida onde tudo parece morto. Entendemos claramente como o mundo ficou melhor quando Deus nos criou. Quer coisa mais linda que isso? Somos a poesia, o encantamento, a beleza da criação. Ao mesmo tempo, somos fortes e fundamentais para a sobrevivência do homem. Eles podem não saber ou não admitir, mas precisam de nós. Adão já não podia realizar-se sem Eva. Ele foi indicado por Deus para garantir a ordem, a boa administração - mas precisava de Eva para apoiá-lo, ajudá-lo e fazê-lo descansar tranqüilo.

Sei perfeitamente que muitas de nós não aceitam a submissão porque não concordam com o comportamento do marido. A verdade é que é mais fácil ser submissa quando o casamento é feito dentro da vontade de Deus, entre duas pessoas que se amam, têm princípios cristãos e só querem o melhor para a outra. Aliás, creio que Deus imaginou esse plano perfeito quando incluiu nele a submissão. Mas vale lembrarmos I Pedro 3:1. Se você é esposa de marido incrédulo, ou rancoroso, ou grosseiro, ou calado, tem mais um motivo para tornar-se submissa: o testemunho. Se você é esposa de um marido que crê mas não vive o casamento plenamente, também tem outra razão para a submissão: a fé. É preciso ter fé que Deus está olhando para sua vida e vai honrar suas atitudes. Não é preciso todos os dias lembrar ao seu marido dos princípios cristãos se você diariamente colocar a vida dele nas mãos do Senhor através da oração. Em I Coríntios 11:3 vemos que a mulher tem como cabeça o homem, que tem como cabeça Cristo, que tem como cabeça ninguém menos do que Deus. Se na cabeça estão todos os órgãos vitais para nossas tomadas de decisões e mais do que isso, para nossa sobrevivência, então, deve vir do homem o comando da vida da esposa, e logo, do lar. Além disso, se Deus é a cabeça do seu marido, por que você não vai direto a ela quando tem alguma reclamação ou colocação a fazer? Está aí uma boa razão para que você pare de querer mudar seu companheiro e deixe de criticá-lo ou exigir mudanças, mesmo quando elas são realmente necessárias. Em vez de pedir para que ele mude, vá direto àquele que é a sua cabeça: Cristo. Vá direto à fonte.

Às vezes, discutir com o marido não leva a nada, mas abrir seu coração com o Pai faz toda a diferença. Ninguém pode se casar achando que vai mudar o cônjuge, mas Deus pode fazer isso se for preciso.

Muitas vezes olhei para meu esposo e vi sua necessidade de transformação, mas antes de compreender essas verdades que o apóstolo Paulo escreveu, tentei fazer com que ele mudasse à minha maneira. Mesmo com uma boa intenção no coração, eu agia errado. O resultado era sempre discussão e muita insatisfação. Mas ao orar ao cabeça e pedir para que Ele transformasse os defeitos do meu esposo em bênçãos, pude ver uma mudança genuina naquilo que precisava ser consertado. E o melhor: tive tempo de olhar para mim e ver que nem tudo aquilo que eu considerava errado era problema nele, mas muitas vezes (e confesso, na maioria delas), em mim. Pense nisso.

Creio que quando falamos do papel da mulher é preciso saber também que somos capazes de contagiar o lar, os amigos e o ambiente de trabalho. Da mesma forma que uma mulher pode influenciar de forma positiva a vida de outros, pode também levá-los ao caos. Afinal, assim como podemos inundar a casa com alegria, podemos lançar sobre ela uma nuvem de rancor e amargura. Faça o teste. Se você, esposa e mãe, estiver sorrindo e feliz, todos em sua casa estarão. Mas se acordar amargurada, dizendo palavras duras e demonstrando ira, o ambiente do lar com certeza ficará pesado e sombrio. Se o seu marido, por exemplo, chega à noite e reclama de um colega que o maltratou, fará muito diferença sua reação como esposa. Se você é apaziguadora e conforta o coração dele, dizendo que esse amigo poderia estar num dia ruim mas que vocês podem orar por ele, com certeza seu marido sentirá paz e até esquecerá do assunto. Mas se você colocar “mais lenha na fogueira”, se indignando e falando mal daquele colega, o rancor no coração do seu esposo provavelmente irá aumentar.

Certa vez telefonei ao meu esposo e pedi que ao voltar para casa – ele estava na igreja, em atendimento pastoral – trouxesse um litro de leite porque o de nossa filha acabara e logo seria sua hora de querer a mamadeira. Ela ainda não tinha um ano de vida e o leite era seu alimento principal. Porém, quando ele saia de lá, precisou atender a um chamado urgente na casa de uma família e demorou mais que o previsto. Confesso que enquanto o esperava, apesar de saber o que estava acontecendo, fiquei irritada. Comecei a formular inúmeras frases para repreendê-lo assim que entrasse em casa. Seria algo do tipo “sua família não é prioridade?” ou “vai deixar sua filha passar fome para atender outras pessoas?”. No entanto, notei que a Ana Carolina estava satisfeita com o jantar e não seria preciso uma mamadeira para que ela dormisse. “Mas e se fosse preciso? Ele não estaria aqui?” foi o que a carne trouxe de novo à minha mente. Mas o fato é que ela adormeceu sem sentir falta do leite. Por que então eu deveria provocar uma discussão, e o pior, sabendo que ele precisava fazer aquela visita e provavelmente não era proposital o atraso?

Graças a Deus a demora dele foi tanta que pude refletir e passar da irritação para a ponderação. Quando ele abriu a porta me pedindo desculpas eu imediatamente o abracei, beijei e disse que havia me enganado, nossa filha não precisou do leite para dormir. Ele ficou tão surpreso com a minha reação que me fez pensar se naqueles dias eu estava agindo de forma muito dura em nossas conversas. Sinceramente, não gosto de imaginar que meu marido vem para a casa preparando-se para uma discussão porque imagina me encontrar nervosa ou irritada. Além disso, já pensou se eu trouxesse à tona aqueles primeiros pensamentos que vieram à minha cabeça? Seria ou não uma longa e infrutífera discussão?

Uma mulher que entende a submissão, que é sábia, compassiva e cumpre os propósitos de Deus, é mais feliz. Logo, sua família também será. Seus filhos, marido e amigos podem chegar em casa com saudades daquele sorriso contagiante e do perfume inigualável que a felicidade traz ao ambiente. Um perfume que nem o melhor produto de limpeza deixará no ar!#

*******

Perguntas para reflexão:

1- Você percebe de que maneira tem contagiado seu lar, seu ambiente de trabalho ou seus amigos?
2- Você acredita que “o coração do seu marido confia em você?” Se não, como acha que pode mudar isso?
3- Você se sente desvalorizada quando pensa em submissão ou consegue enxergar isso como parte do plano perfeito de Deus para sua vida?
4- Como, na prática, você acha que poderá mostrar submissão ao seu esposo?

3 comentários:

  1. Ai q tremendo esse estudo Pastora....a minha oração é p q Deus continue a usando p abalar nossas estruturas e nos fazer, a cada estudo, entender qual é a Sua vontade p nós enqto mulheres, e aprendermos a ser mulheres submissas, segundo o coração do Pai!

    Deus abençoe!! Eu quero ser essa mulher..hehe!!

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito do post, só tenho algumas coisas a refletir sobre as coisas que você colocou aqui. Sou casada há três anos, não tenho filhos, casei um pouco jovem, cheio de amor e esperança de fazer uma família grande com meu marido, que deveria vim depois de realizar minhas conquistas pessoais como pessoa e principalmente como mulher. Estou adiando esse sonho pois quero ser uma mulher de sucesso e ser mais independente financeiramente do meu marido. Ele me apoia em tudo, e apesar de não ser tão religioso vê que o meu sonho deve ser realizado, e vendo o nosso relacionamento cada vez mais forte vejo que com a minha determinação e coragem eu o faço admirar a minha pessoa, e principalmente a me respeitar. A sua interpretação da bíblia sobre a submissão da mulher vem de tempos muito remotos. Não gostei desse termo: submissão. Acredito que se Deus nos criou para sermos iguais, em iguais temos que ser. Ou seja, se estamos diante de uma situação problemática não acredito que o esposo possa resolver sozinho, tem que ter a opinião e aconselhamento da mulher também, ou seja, os dois devem chegar a um consenso e resolver juntos. Infelizmente muitas mulheres levam ao pé da letra a interpretação da bíblia e se submetem a qualquer custo para garantir o seu espaço no céu. Não é assim que deve ser. Minha mãe me criou para ser uma mulher de respeito, e é isso que eu quero passar para os meus filhos, pois vendo muitas mulheres que se submetem aos seus maridos não passam muito tempo para que sejam traídas por eles, afinal, nenhum homem (digo isso baseada pela maioria e pela realidade dentro dos lares) inconscientemente, gosta daquela mulher que vive em casa cuidando dos filhos, é dependente emocional e financeiramente, pois as veem como uma empregada que ele não precisa pagar e tem sexo a vontade com a mesma. Não quero ofender a sua opinião nem seu post nem sua fé e muito menos a sua religião, mas hoje em dia a mulher tem sim que orar para mudar seu marido mas tem que agir também. É como aquele velho exemplo, hoje temos muitos recursos médicos disponíveis a população; devemos primeiro pedir saúde a Deus, mas também não podemos ficar esperando, não tomar os remédios, não fazer o tratamento para curar a doença, não se prevenir, pois se Deus nos deu recursos naturais para a nossa cura, deu a inteligência ao homem para desenvolver métodos tecnológicos para a recuperação das pessoas, não podemos desprestigiar todo esse trabalho que Deus nos deu. É como se jogássemos no lixo toda a obra do Pai.
    Espero ter esclarecido a minha opinião. Grande abraço!
    PS: eu encontrei o seu post por meio de uma procura para entender melhor a Bíblia. Veja só como Deus é maravilhoso e como as coisas acontecem, Ele me levou direto ao seu post. =D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carla, penso que voce se equivocou ou nao entendeu muito bem o sentido da palavra submissao, por isso te indico 2 videos que me ajudaram no entendimento dessa palavra submissao que é um mandamento de Deus, um grande abraço e Deus te abençoe.

      http://www.youtube.com/watch?v=VxP4pRQvcxo

      http://www.youtube.com/watch?v=VpyNQQ1Uqoo

      Excluir