domingo, 11 de agosto de 2013

À espera de um milagre...

>> Olá!  Resolvi publicar aqui esse testemunho (meu e da Ana) que escrevi em forma de reportagem para uma revista há alguns anos para trazer esperança a vc que quer ter filhos e ainda não tem. Nosso Deus faz o impossível! Leia, edifique-se e se desejar, deixe seu nome para intercedermos. Eu creio com vc!

***********
MEUS FILHOS, UM MILAGRE

“Durante dois anos, fiz tratamento para engravidar. Tomava remédios, injeções mensais e fiz duas cirurgias para desobstruir as trompas. Nesse tempo, eu também orava e pedia a Deus que me desse um filho, mas fazia isso crendo mais na ação do tratamento médico do que num milagre. Um dia, após mais uma série de exames, meu médico – um especialista reconhecido no assunto – foi enfático: eu não poderia engravidar naturalmente e teria 40% de chances numa inseminação artificial que me custaria 7 mil dólares, à vista. Sai do consultório arrasada.

Naquele dia, não fui à minha reunião de célula semanal. Meu marido explicou ao nosso líder que eu não estava bem e então, mesmo sem estarmos lá, eles oraram por nós. Em casa, nos prostramos diante de Deus como nunca havíamos feito. Como casal, choramos, entregamos tudo nas mãos dele e pedimos para que, se fosse para adotarmos uma criança, isso fosse colocado em nosso coração.

Na manhã seguinte, acordei bem. De vez em quando, me vinha o pensamento “não posso ter filhos”, mas não desanimei. Quando me perguntavam sobre o assunto, eu dizia que em breve iria engravidar – o que deixava as pessoas preocupadas.
Na semana seguinte fui viajar e, quando voltei, minha menstruação atrasou. Não esperei muito e fui fazer o exame: estava grávida, de forma natural, um mês após aquela notícia do médico (que não soube explicar o que houve, mas garante que os exames estavam corretos).

Hoje, o Vitor e o Danilo – isto mesmo, eu ainda tive mais um filho depois disso sem que o médico soubesse explicar - são provas de um milagre que Deus operou em mim! Glórias a Ele por isso!”

(Ana Lúcia de Andrade Canabrava)

*********************
MEU MILAGRE TAMBÉM CHEGOU!

Quando ouvi a história da Ana Lúcia Canabrava (que vc leu acima), meu coração bateu mais forte. Eu estava casada havia sete anos e não conseguia entender porque Deus não me dava um filho. Cheguei a passar por três fases: conformidade; depois, tristeza; depois, “braveza” com Deus. Isso mesmo, eu cheguei a ficar brava por Ele não me abençoar da forma como eu queria. Mas hoje sei que eu agi errado. Nosso Deus é soberano e sabe muito bem a hora de agir. Toda promessa passa pela provação do tempo. É preciso saber esperar.

Naquela tarde em que conversei com a Ana para escrever a reportagem sobre mães para uma revista senti algo diferente. Meu ânimo voltou e minhas esperanças foram renovadas assim que ela compartilhou da sua alegria. E, a partir daquele dia, descansei no Senhor. Mas também me firmei nas suas promessas – eu sabia que Ele estava olhando para mim.

Pouco tempo depois, eu estava um dia, orando em meu quarto, e chorava muito na presença de Deus. Era um clamor sincero que hoje eu sei: tocou o coração do Pai. Naquele momento tive uma visão e o Senhor me deu uma promessa em sua Palavra que está em Gênesis 18.14 – “Por acaso há impossíveis para Deus? Daqui um ano, virei a ti, e Sara terá um filho”. Anotei na minha Bíblia: era o dia 30 de janeiro. E me vi como Sara: humanamente, sem capacidade para gerar, mas, em Deus, capaz de tudo! E cri que, dali um ano, eu estaria gerando uma criança.

Passaram-se alguns meses e no mês de maio meu esposo pregou em nossa igreja, no Dia das Mães, sobre as histórias de Sara, Rebeca e Raquel, mulheres inférteis que Deus abençoou com filhos. E contou à igreja que precisávamos de um milagre na nossa vida para sermos pais.

Nas semanas seguintes, fomos procurar um médico (porque sabíamos que teríamos que fazer a nossa parte, tudo o que estava ao nosso alcance) e saímos dali na expectativa de começar o tratamento no mês seguinte. Mas não foi possível. Aliás, nem preciso. Eu engravidei antes disso! Naquele mesmo mês de maio, alguns dias após a pregação do dia das mães!

Exatamente no dia 30 de janeiro do ano seguinte (lembra que a promessa de Gên 18 foi me dada exatamente um ano antes?), fui para o hospital. Nasceu então, no dia 2 de fevereiro, minha filha, Ana Carolina. A promessa de Deus se cumpriu. Meu milagre chegou!

Se Deus te deu um sonho, Ele irá cumprir. Apenas creia!

Rosana Salviano Salabai

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Mulheres Guerreiras!




Estamos nos aproximando de mais um Congresso do nosso Ministério Jóia Rara, que este ano traz o tema “GUERREIRAS”. E por que? Porque queira você ou não, há uma guerra acontecendo agora. Querem destruir seus sonhos, sua família, seus negócios, seus planos. Querem destruir você. Mas somos mulheres criadas com um propósito, de uma maneira especial e com um destino profético: fomos formadas com uma vida de bênçãos traçada pelo nosso Pai Eterno. Lutamos não por uma vitória, mas a partir de uma vitória: a da cruz! E é quando a realidade da nossa vida não condiz com as promessas, que o Senhor nos revela Sua face de Guerra e nos juntamos a Ele como GUERREIRAS do Seu exército! Aí, nos levantamos na força do nosso General e fazemos o que então parecia impossível: derrotamos os inimigos, aniquilamos os projetos das trevas e experimentamos a verdadeira vida que Deus tem prá nós! Simples assim, maravilhoso assim! Então, no estudo de hoje, vamos aprender com as mulheres que inspiraram o tema do Congresso. Três mulheres comuns, mas que se posicionaram como guerreiras. 

DÉBORA - Nos capítulos 4 e 5 de Juízes conhecemos Débora, Juíza e Profetiza, mas também mulher e esposa. É incrível como ela foi levantada para ter um cargo governamental e espiritual tão elevado numa época em que as mulheres eram desvalorizadas e colocadas em segundo plano. Débora foi a única juíza em Israel. Juízes eram aqueles escolhidos pelo próprio Deus (e escolhidos de maneiras diferentes, com o sobrenatural operando no mundo natural) para conduzir o povo segunda as leis humanas e segundo as leis de Deus. 

No episódio em que a conhecemos, Israel passava por um período de transgressão, afastado de Deus e há 20 anos sendo oprimido pelos cananeus. Eles estavam tentando tomar posse da Terra Prometida (Canaã) mas até então, eram subjugados por seus inimigos. Até que Débora posiciona-se firmemente contra essa vida de derrota do povo escolhido; ela chama Baraque, o comandante do exército, e lhe diz que Deus estava dando uma estratégia de vitória para eles. Baraque diz que faria o que ela dissesse mas com uma condição: que ela estivesse junto no campo de batalha. Ela disse que iria mas, que por causa dessa atitude de falta de fé, ele não receberia as honras da vitória, pois o Senhor entregaria Jabim (o comandante inimigo) pelas mãos de uma mulher.

Tudo parece muito estranho e fantasioso nessa história em se tratando de uma mulher ser colocada juíza e um general de guerra (Baraque) dizer que só iria prá guerra se ela fosse junto. Mas fica muito claro quando conhecemos melhor essa mulher e entendemos o destino profético que Deus lhe havia reservado. É que muito tempo antes do povo de Deus entrar em Canaã, Deus lhes deu uma promessa que está em Êxodo 23:28: Também enviarei vespas (ou ‘abelhas’) adiante de ti, que lancem fora os heveus, os cananeus, e os heteus de diante de ti”. E sabe o que o nome Débora quer dizer? ABELHA! Sim, Deus já a havia escolhido para essa missão. E os planos de Deus nunca são frustrados! Aleluia!

JAEL – Jael é outra mulher importante nessa história. Ela é aquela que, como profetizou Débora, levaria as honras pela morte do comandante Jabim, do exército cananeu. Jael era esposa de Héber, um “empresário” da área de metais. Interessante notar que ele vinha de uma descendência israelita (tinha entre seus antepassados o cunhado de Moisés) mas decidiu lutar ao lado dos cananeus, provavelmente porque queria ficar do lado aparentemente mais forte e até por questões financeiras, já que ele era do ramo de metais e o exército de Jabim era famoso por seus carros de guerra. Mas Jael permaneceu fiel ao pacto da família com o povo de Deus e decidiu por um fim a essa violação de aliança cometida por seu marido. Então foi ela que atraiu Jabim para uma emboscada, e, com a estaca de sua tenda, o matou. Mesmo não se sabendo ao certo se Jael era do povo de Israel – alguns estudiosos dizem que provavelmente ela não era – ela também tinha em seu destino profético ser usada para a conquista de Canaã: Jael significa cabra, e foi oferecendo leite que ela atraiu o comandante à sua tenda. Então, junto com a “ABELHA”, a “CABRA” ajudou o povo de Deus a tomar posse de Canaã, a Terra “que mana LEITE E MEL” (Dt. 26:9)! 

A MULHER QUE DERROTOU ABIMELEQUE – A terceira guerreira que desejo compartilhar com você tem seu nome desconhecido e foi importante num outro episódio que também está relatado em Juízes, no capítulo 9. Essa mulher trabalhava num moinho de trigo, trabalho que naquela época era destinado apenas às mulheres por ser considerado humilhante, e entrou em cena quando Abimeleque, um homem ganancioso que para atingir seus objetivos usou meios terríveis como mentira, engano e assassinato de seus setenta irmãos, queria se tornar rei de Israel. Ele estava com seu exército destruindo cidades e matando seus opositores, mas numa dessas emboscadas, quando iria incendiar uma torre onde estavam abrigados homens, mulheres e crianças, foi atingido na cabeça por uma pedra de moinho lançada por essa mulher. Ele então pediu que um de seus soldados cravasse a espada em seu peito para que não parecesse que ele foi morto por uma mulher com uma pedra, pois seria humilhante demais. E assim, morreu.
Olhando para essas três mulheres podemos nos lembrar que quando Deus tem um propósito, não importa quem você é: Ele te usa! E mais: todas nós temos inimigos, mas também temos armas de guerra! Por isso, não menospreze aquilo que Deus coloca em suas mãos: Débora usou sua autoridade; Jael, aquilo que ela tinha a oferecer (leite) e a estaca da sua tenda; a outra mulher usou aquilo que muitos consideravam humilhante, a pedra do moinho. Não importa o que é, mas você derrotará seus inimigos com aquilo que Deus colocar em suas mãos!

Seu inimigo é a vida financeira que está sempre ‘no vermelho’? Use seus dons e talentos, use a sabedoria! Elas podem ser suas armas nessa hora! 

Seu inimigo é um casamento à beira do fracasso? Use seu ‘poder’ feminino, dado por Deus! Use o amor e os frutos do espírito!

Seu inimigo é um sonho que parece não se realizar? Use a esperança e a promessa: “Deleita-te no Senhor e Ele realizará os desejos do seu coração” (Sl 37:4)    

Seu inimigo é a saúde precária? Mude seus hábitos, faça as escolhas certas e clame pelo Jeová Rafá – o Deus que sara!

A Bíblia nos garante que nossas armas, em Deus, são poderosas! Então, não tenha medo do futuro, apenas posicione-se como GUERREIRA, como essas mulheres se posicionaram. Abra mão daquilo que for necessário e confie! Não olhe para suas lutas ou para o tamanho do seu inimigo, mas olhe para a grandeza do nosso General! Em Cristo, podemos romper os céus e trazer a vitória que é nossa por direito! Ela faz parte do nosso destino profético, então não aceite menos do que isso! Faça aquilo que estiver ao seu alcance. E Deus fará o resto. AMÉM!#

*************************
 Para refletir: 
 
1) O cumprimento do destino profético (aquilo que Deus tem para nós como propósito) depende de algumas tomadas de posições da nossa parte. Você consegue enxergar mudanças necessárias em sua vida para que se sinta realmente vitoriosa e dentro dos propósitos de Deus?
2) Quais são seus inimigos hoje? O que te aflige, o que te traz medo ou insegurança? O que te desvia da presença de Deus? Como derrotá-los?
3) Como podemos usar a oração como arma? Você a usa? Tem visto Deus agindo a partir do seu clamor?


domingo, 6 de maio de 2012

E a recompensa chegará!

(Leia Daniel 1; 3:27)
 


Nossa vida é feita de escolhas, mas nem sempre tomamos a decisão certa e por isso sofremos as consequências. Então hoje vamos falar de escolhas e suas recompensas.

Tenho certeza que se você estava no culto do domingo, dia 29/05, Deus falou ao seu coração. A ministração pastoral teve como tema “Se passares pelo fogo, a minha presença ali se manifestará” e o pano de fundo foi a promessa de Isaías 43:2 (“...quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti”) se cumprindo na vida dos três amigos de Daniel que foram jogados na fornalha e livrados da morte de maneira sobrenatural. Mas a conclusão voltou ao 1º Capítulo do livro de Daniel: ali, aqueles jovens escolheram não se contaminar com o que lhes era servido. E como vimos, colheram os frutos dessa decisão.

Muitas vezes lemos as promessas de Deus e esquecemos que há um preço a se pagar para que elas se cumpram. Mas deixe-me ser bem clara quanto ao que estou dizendo. Creio que Jesus já pagou o mais alto preço quando morreu por nós na cruz do calvário. Mas, também creio na existência de um mundo espiritual, onde nosso inimigo, Satanás, está em constante guerra contra o Senhor e por isso tenta nos ferir – pois ferindo aos filhos, ferirá ao Pai. E também creio que temos uma parte de nós, a nossa carne, que precisa estar sujeita ao Espírito Santo para não errarmos, caso contrário, suas vontades prevalecerão e nem todas elas convém. Sendo assim, posso te afirmar que creio na Graça – aquele presente não merecido que recebemos de Deus – mas não me limito a ela para conduzir minha vida. A Bíblia é clara quanto a necessidade de obedecermos ao Pai se quisermos ser prósperos e felizes. É verdade que o Amor de Deus para conosco não se baseia em sermos pessoas boas ou más, e por isso suas misericórdias se renovam toda manhã, para bons e maus. Prá mim, essa é a realidade da Graça. Mas, ao mesmo tempo, você pode ser amada por Deus e não caminhar de acordo com os princípios da Sua palavra e por isso não experimentar a vida vitoriosa que Ele tem prá nós aqui na Terra. Não por culpa Dele, mas por uma escolha sua. Simplesmente porque não obedecendo a Palavra, você está indo contra o manual do fabricante e acaba dando brechas para que tanto Satanás quanto sua carne prevaleçam. E onde fica a Graça nessa história? Fica à sua disposição, pois, assim que reconhecer que está pegando o atalho errado, Deus estende as mãos e faz uma reviravolta na sua vida. Simples assim! Deus abençoa bons e maus e seus milagres independem de quem nós somos (caso contrário não seria Graça). Você não precisa ficar melhor ou “mais santa” para ser tocada por Deus. Mas há uma recompensa para aqueles que estão em Cristo e andam nos Seus caminhos: o cumprimento das promessas, a começar pela Salvação.

Estamos vivendo dias em que muitos querem as bênçãos e os direitos de filhos do Pai, mas não os deveres e as responsabilidades. Com isso, vivem uma vida cristã cheia de turbulências e sem graça. Vivem com o coração nas coisas deste mundo, que são passageiras, e deixam aquilo que é eterno para segundo plano. Falam em Graça e Evangelho “simples” de maneira equivocada. Mas não confunda a simplicidade do Evangelho com mediocridade. O Evangelho é simples, mas poderoso. É amor, mas também é justiça. É graça, mas é santidade. Prega a liberdade, mas também prega a obediência. É o "venha como estás", mas também o "transformai-vos"! Então, seja livre e simples, mas siga Jesus: seja acima da média, faça a diferença, escolha ser diferente - assim como Daniel e seus amigos.

Deus está nos chamando a uma nova vida, à uma nova dimensão de glória e de guerra espiritual. Se você quer que as promessas de Deus se cumpram em sua vida, experimente “acelerar” o processo (como fizeram, por exemplo, a mulher hemorrágica e o cego de Jericó, que deram um jeito de chamar a atenção de Jesus) adorando em santidade e obediência ao Pai e buscando Seu favor! Chame a atenção do Pai! Seu louvor sobe, a glória desce, o favor chega e a guerra é vencida! Mas, para que sua adoração seja em Espírito e em Verdade, como o Pai procura, decida hoje, como fizeram Daniel e seus amigos, não se contaminar com alimentos impuros e manter-se longe dos ídolos. Eles escolheram o alimento “puro”, e não aqueles modificados, as “iguarias” – que convenhamos, deviam ser bem atraentes e gostosos! Fique sempre com a fé genuína, com a verdade da Bíblia, mesmo quando te oferecerem “alimentos” aparentemente mais saborosos. E se for o caso, reflita: o que está te contaminando e te impedindo de se destacar no meio da multidão? O que está sendo barreira para que você alcance uma nova dimensão? Será que você está adorando a ídolos visíveis e invisíveis que foram plantados na sua vida por imposição de alguém ou alguma coisa – como fez o rei Nabucodonosor naquela época? Lembre-se: “ídolo” é tudo aquilo que tira seu foco do Deus verdadeiro. Pode ser aquilo que rouba seu tempo de comunhão com Ele. Ou aquilo que te faz pecar. Ou ainda aquilo que abala sua fé. Ou aquilo que te faz decretar que “não há esperança” para seu casamento, sua vida, seus filhos, seus negócios, seus planos...

Renuncie aos ídolos e às coisas deste mundo com a certeza de que trocar algo por mais de Deus é a melhor transação que já te ofereceram. Afinal de contas, não há nada que se compare ao valor da Sua presença. Quando a Sua presença é real e manifesta, nada permanece da mesma maneira: seus sonhos mudam, suas emoções mudam, seus relacionamentos mudam, sua família muda. Sua vida muda, você muda. Se você ainda não está vendo isso, a questão é: porque essas mudanças estão demorando a acontecer? Reveja seus conceitos, suas decisões e suas escolhas. Reveja tudo.

Não se engane: há uma batalha travada pela sua vida. Se ainda não foi, chegará a hora em que irão te jogar na fornalha. Mas faça a escolha certa, não temas e confie: Ele estará lá para te livrar. Essa é sua recompensa. Amém!#

**************************
Para refletir:

1) No texto lemos que “ ‘Ídolo’ é tudo aquilo que tira seu foco do Deus verdadeiro. Pode ser aquilo que rouba seu tempo de comunhão com Ele. Ou aquilo que te faz pecar. Ou ainda aquilo que abala sua fé. Ou aquilo que te faz decretar que não há esperança...” Pense em exemplos de ídolos que tentam ficar em nossa casa e nossa vida. Como eles agem para nos afastar de Deus?
2) Você consegue perceber como suas escolhas afetam ou já afetaram sua vida? Há algo para se arrepender?
3) Que escolhas você pode fazer hoje para mudar situações da sua vida?


sexta-feira, 27 de abril de 2012

Mical: saia da janela!


(Texto Bíblico:2 Samuel 6:9 a 23)



Mical era filha de Saul e foi a primeira esposa de Davi. Ela o amava. Não sabemos como exatamente eles se conheceram, mas, em 1 Samuel 18 a Bíblia nos conta que Saul, sabendo do amor de Mical por Davi, a ofereceu em casamento em troca da morte de 100 filisteus (na verdade o plano do rei era que Davi fosse morto nessa empreitada). Davi cumpriu a determinação e fez ainda mais: matou não apenas 100, mas 200 filisteus – e fez isso antes do prazo dado pelo rei. E então tornou-se genro de Saul.

Nos relatos históricos, percebemos que o amor de Mical por Davi foi se esfriando com o passar do tempo. Embora o tenha ajudado na fuga, ela não quis fugir com ele quando seu pai o estava tentando matar – talvez não estivesse disposta a deixar o conforto do palácio e preferiu sacrificar seu casamento. Davi ficou sete anos longe, até que pudesse voltar e assumir o trono depois da morte de Saul e seus descendentes, e, nesse período de lutas, por sua esposa não estar ao seu lado, ele encontrou auxílio nos braços de outras mulheres. Mas sua primeira aliança era com Mical – e se ela quisesse e agisse com sabedoria, poderia usufruir das bênçãos decorrentes disso. No texto que lemos, no entanto, conhecemos uma Mical não mais apaixonada pelo seu marido. Uma Mical que, com amargura no coração, despreza a alegria de Davi e rejeita a benção que ele tinha, da parte de Deus, para toda sua casa. Pouco depois desse episódio, Davi comete o adultério com Bate-Seba. E Mical morreu sem filhos, sem deixar um herdeiro legítimo para o trono.

Porque será que esta mulher, que um dia amou seu marido e o ajudou num momento tão importante de sua vida acabou assim?

Creio que é importante notarmos que Mical tinha traumas e feridas em seu coração. Afinal de contas, ela foi usada por seu pai para montar uma armadilha contra o homem que amava. Depois, quando ele fugiu e ela se recusou a ir junto, foi entregue como esposa para outro. E passados sete anos, foi tirada desse marido para ficar de novo com Davi. 

Traumas não resolvidos e emoções feridas tiraram o brilho de Mical. E mais do que isso: lhe trouxeram cegueira espiritual. Ela já não via Davi como um homem escolhido por Deus para reinar e não compreendia a alegria da presença do Senhor.

No episódio da festa que Davi fazia pela retomada da Arca da Aliança, Mical ficou de fora, olhando pela janela. Ela tinha todo direito de estar ao lado do rei, seu marido, celebrando com ele. A presença do Senhor era manifesta naquele lugar e havia júbilo no meio do povo. Era o avivamento! Mas Mical simplesmente o desprezou.

Mical nos faz lembrar de mulheres que preferem apenas olhar pela janela ao invés de participar da festa. Mulheres que desprezam o poder de Deus e desistem do seu casamento ou de seus sonhos. Mulheres que deixam a amargura dominar o coração e se tornam insensíveis ao agir de Deus. Mulheres que são tão críticas que não conseguem enxergar o amor do Pai nas pequenas coisas que nos rodeiam. Mulheres que acabam desprezando a benção e o propósito que Deus tem para cada uma de nós e por causa disso, morrem estéreis, sem colher os frutos e as flores de uma vida bem sucedida - que é prometida para aqueles que são plantados junto às correntes de águas que é o próprio Deus! (Salmo 1)

Mical agiu errado ao não seguir seu marido naquela fuga. Nosso Deus é um Deus que honra as alianças que temos com Ele e que foram feitas diante Dele. Casamento é uma aliança para toda vida, não importa o que aconteça no meio do caminho. Se você é uma mulher que não está disposta a abrir mão do seu conforto e do seu “palácio” para seguir seu esposo, nunca conseguirá desfrutar das bênçãos decorrentes da aliança; sim, porque a aliança do casamento é um espelho da aliança de Deus para com seu povo – uma aliança inviolável, que independe da humanidade, dos nossos pecados ou nossas vontades – e na carta aos Gálatas, o apóstolo Paulo enfatiza que nada, “nem a lei”, “poderá invalidar a aliança previamente estabelecida por Deus de modo que venha anular a promessa”. Ou seja, um casamento, ao receber a benção do Senhor, também estabelece uma aliança eterna. Não importa se anos depois um dos cônjuges ‘descobrir’ (ou achar) que se casou com a pessoa errada. Se houve a benção de Deus, nada poderá invalidar essa aliança. E a melhor notícia é que, da mesma forma, nada também poderá anular as promessas decorrentes dessa benção. Creia nisso, busque isso! Pense como a vida de Mical poderia ter sido diferente se ela abrisse mão do palácio para construir um casamento sólido. Sim, ela viveria anos de lutas e provações. Mas depois experimentaria reinar!

Mical também agiu errado ao criticar seu esposo por seu comportamento. Não se torne a mãe do seu marido. Não seja uma mulher crítica, pessimista, preocupada apenas com “o que os outros vão falar”. Não seja religiosa. Talvez Mical, por ser filha de Saul, conhecia muito bem os protocolos reais e aprendeu desde cedo como o rei e a rainha deveriam agir diante de uma multidão – e bem por isso, não gostou do que Davi fez ao dançar no meio do povo. Mas não se limite aos protocolos. Quebre paradigmas, pré-conceitos, esteja pronta ao novo de Deus! E mais: se você é daquelas que se incomoda com a alegria das pessoas, sinto em dizer, mas você é uma mulher egoísta e invejosa – e precisa se arrepender disso. É pecado. Não seja como aquele filho perdido dentro da própria casa – o irmão do filho pródigo – que sofreu junto com o pai a partida do irmão mas não conseguiu se alegrar com sua volta por pura inveja. Sim, não é de hoje que é mais fácil chorar com os que choram do que se alegrar com os que se alegram... E sabe quando você será mais feliz? Quando for mais grata e reconhecer os presentes que Deus tem dado a você todos os dias. Não fique listando aquilo que falta em sua vida, faça uma lista daquilo que você já tem! Na minha casa, fiz um quadro bem grande com fotos onde mandei escrever “momentos felizes”, pois não quero nunca me esquecer de que coisas aparentemente simples também podem me proporcionar muita alegria! Aproveite esses presentes que Deus nos proporciona no dia a dia. Experimente não se prender aos detalhes e apenas sorria! Quando algo fugir do seu controle, não se desespere. Dê risada, louve! Traga à memória aquilo que pode lhe dar esperança, sempre! (Lamentações 3:21)

Mical ficou na janela quando poderia estar na festa. Deus não te criou para que você apenas admire a obra Dele na vida de outras mulheres. Saia da janela, pare de apenas contemplar e dê alguns passos até a festa que Ele preparou para você! Não se contente com pouco, não se conforme com o medíocre. Lembre-se: Você é a filha do Rei!#

**************************

 Para reflexão:

1) Pense em tudo que envolve sua vida: sua Igreja, seu trabalho, suas amizades, sua família, seu casamento. Onde você se sente hoje: no meio da festa ou na janela? 
2) Você se considera uma mulher muito crítica? Isso atrapalha seus relacionamentos?

3) Você sente que tem alguma mágoa ou trauma que a impede de ser feliz?


segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Série: PALAVRAS - ESTUDO 3

"Fé X Palavra – A mulher hemorrágica"
(LEITURA: Marcos 5: 25 a 34)

Nas últimas duas semanas conversamos sobre o poder das palavras que saem da nossa boca, e como elas podem mudar as circunstâncias a nossa volta. É maravilhoso entendermos isso e sermos mulheres de Fé. Mas existe uma realidade a se encarar: nem sempre aquilo que profetizamos acontece. É fato. Então questionamos: porque algumas pessoas são curadas e outras não? Porque alguns sonhos são realizados imediatamente e outros não?

Particularmente, creio que há muitas coisas que envolvem esse Reino Espiritual onde as palavras tomam forma, assim como a Bíblia diz que no início era o Verbo, e o Verbo se fez carne. Ao mesmo tempo, creio mesmo no poder das Palavras, porque isso é Bíblico. E então, procuro sempre exercitar essa minha Fé, proclamando palavras de bênçãos sobre a minha casa, meu marido, minha filha, meus familiares. Você pode fazer isso. Mas há um ensinamento importante que gostaria de compartilhar com você. Vamos primeiro conhecer a história da mulher hemorrágica, conforme o texto que lemos.

Essa era uma mulher que sofria muito. Naquela época, o fluxo de sangue tornava a mulher impura, e enquanto sangrasse, ela não poderia tocar em nada – pois aquilo que ela tocasse se tornaria impuro também – e é claro, ela também não podia ser tocada. No caso dessa mulher, ela vivia assim há 12 anos. Consegue imaginar? Isolada, desprezada, solitária, descriminada. Porém, ao crer que sua salvação estava em Jesus, ela declarou com Fé: “se eu apenas o tocar, serei curada”. E assim o foi. Aquela mulher teve fé para visualizar sua cura, estender a mão e esperar o milagre. E de onde vem uma fé como está? Vem de Deus. Ele nos dá o desejo de buscá-lo. Quando alimentamos esse desejo, Ele nos dá fé para crermos em seu poder.

Porém, como já dissemos antes, parece que nem sempre as coisas acontecem simplesmente por causa da nossa Fé, embora a Bíblia diga que tudo é possível ao que crê. Vamos então aprender hoje algo fundamental para nossa caminhada.

Existem na Bíblia duas definições gregas para o termo “Palavra”. Em suma, temos a “Logos”, que é a Palavra Escrita e a “Rhema”, que é a Palavra Revelada. Quando lemos a Bíblia, estamos lendo “Logos” - palavra escrita. Quando, porém, ouvimos o Espírito Santo falar diretamente em nosso espírito, ouvimos “Rhema” - palavra revelada. No entanto, uma não vive sem a outra. Não existe Revelação (Rhema) que não se harmonize, coincida e se expresse direta ou indiretamente na Palavra de Deus escrita (Logos – a Bíblia). E não há como provar o poder de Deus apenas pela escrita, pela letra, por Logos. A própria Bíblia diz que a “a letra mata, mas o Espírito vivifica” (2 Corintios 3:6). Então, ao declararmos uma Palavra, para que ela se cumpra, não basta ser a Logos. Precisa ser uma palavra Rhema. Vou dar como exemplo uma história real sobre o uso dessas duas palavras.

Na Coréia do Sul houve um grupo de jovens que viajou de muito longe para assistir a pregação de uma mulher que era extremamente usada por Deus, ministrando milagres e muitas curas. Porém, quando chegou ao local, o grupo descobriu que a pregação aconteceria do outro lado do rio – que estava cheio, com correnteza forte e impossível de se atravessar. Três daquelas jovens então se lembraram de que Pedro andou por sobre as águas. Oraram com Fé e entraram rio adentro para andar por cima das águas e atravessar o rio. Mas o resultado foi triste: morreram afogadas. O episódio serviu para muitos questionarem até onde a nossa Fé pode mesmo salvar. Mas na verdade, houve ali um ato de displicência com a palavra de Deus. Lembra-se do que Jesus respondeu quando foi tentado no deserto e Satanás, usando a Palavra de Deus, disse “Joga-te aqui do alto e o Senhor o guardará porque a seus anjos dará ordens a seu respeito”? Jesus respondeu (também com a Palavra de Deus): “Está escrito: não tentarás o Senhor teu Deus”. (Mateus 4: 5 a 8).

Mas você pode ainda se perguntar: por que essas moças morreram se elas creram na Bíblia? A Bíblia não mostra que Pedro andou sobre as águas e que Jesus era com ele? Sim. Porém, quando Pedro pediu para andar sobre as águas com Jesus, o Mestre lhe respondeu: “Vem”! E disse a quem? A Pedro. Em que momento? Num momento em que Pedro precisava provar do Poder de Jesus. Note que foi Jesus (o Logos de Deus) que produziu a Palavra Rhema que fez Pedro andar sobre as águas. Isso prova que Rhema está intrinsecamente ligado a Logos. Em outras palavras, o que Deus fala ao nosso coração e ao nosso espírito, estará sempre associado e em plena concordância com a Bíblia.

Rhema então é a Palavra bíblica (Logos) revelada (com o poder de executá-la) pelo Espírito Santo de Deus, num momento específico, para uma pessoa específica, para um fim específico. Logos é uma palavra histórica, porém criativa, ou seja, Logos revela algo que Deus disse e aconteceu. Porém Rhema é uma revelação específica, para uma pessoa específica numa situação específica.

Então, podemos concluir que muitas vezes aquilo que declaramos não acontece porque não está de acordo com a vontade de Deus para nossa vida ou não foi uma ordem expressa do Espírito Santo – pelo menos não naquele momento. Muitas vezes queremos que os nossos desejos se realizem, e não os do Senhor. Justamente por isso, precisamos buscar estar sempre em sintonia com a vontade de Deus para nossas vidas, a fim de que saibamos qual a Palavra Rhema que Ele tem para cada uma de nós. E como fazemos isso?

Em primeiro lugar, lendo a Bíblia, pois como dissemos, a Palavra Rhema (a revelação de Deus para nós) vem através da Palavra Logos (aquilo que está escrito na Bíblia). Quando conhecemos a Bíblia, não nos enganamos com nossos próprios pensamentos. Certa vez, por exemplo, uma mulher me disse que o Espírito Santo revelou que ela deveria separar-se do marido pois Deus tinha algo melhor para ela. Claro que essa não era a voz do Espírito. Se ela conhecesse o que diz a Bíblia a respeito do divórcio, saberia que Deus nunca lhe pediria algo que é contrário a sua Palavra.

Em segundo lugar, devemos orar para que Deus coloque em nós o Seu desejo. Filipenses 2:3 diz que “Deus é quem efetua em nós tanto o querer quanto o realizar, conforme a Sua vontade”. Também diz a Bíblia “Agrada-te do Senhor, e Ele satisfará os desejos do teu coração” (Salmos 37:4). Deus sempre vem a nós através do nosso desejo santificado. Se buscarmos o centro da vontade de Deus, o Espírito Santo produzirá em nós sonhos e desejos conforme o querer do Pai. E assim sim veremos o realizar de cada um deles. Aliás, de TODOS eles, pois a Bíblia diz “Bem sei Senhor que tudo podes, e nenhum dos Seus planos será frustrado” (Jó 42:2).

Feito isso, é só esperar o momento certo para o agir de Deus. E é claro, parece simples mas é tarefa difícil. Esperar confiantemente não é nosso forte. Mas lembre-se que a mulher hemorrágica esperou 12 anos. David Young Cho escreve: “O tempo sempre é uma prova. Se esperar com paciência, seu próprio desejo e o desejo de Satanás tornar-se-ão cada vez mais fracos, mas o desejo do Espírito Santo, cada vez mais forte. Por isso espere e receba o desejo divino.”

Portanto, se você deseja ser uma mulher de Deus e usufruir de todo poder e vitória que já nos foram garantidos na Cruz de Cristo, caminhe não apenas conhecendo a Jesus de ouvir falar, mas andando intimamente com Ele. Caminhar em santidade e em comunhão com Deus é uma escolha que cada uma de nós pode fazer. Você pode ser salva e ainda assim não caminhar em triunfo. Mas pode ser salva e provar do sobrenatural de Deus aqui na Terra. Eu fico com a segunda opção. A parte de Deus, Ele já fez e está fazendo. A minha, é querer estar cada vez mais perto Dele, conhecendo a Palavra, orando, jejuando, renunciando aos desejos da minha carne e abrindo mão do pecado e daquilo que me faz pecar. Todos os dias, quando acordo, peço ao Espírito Santo que esteja agindo em mim e através de mim, me livrando do meu próprio eu durante o dia, não deixando que a minha vontade seja feita, mas a Dele. Também peço que Ele mesmo cumpra os propósitos que tem para minha vida naquele dia. E assim prossigo com a certeza de que Deus está no controle da minha vida, mesmo quando as coisas não acontecem do jeito que eu quero. Vou louvando, profetizando e tentando enxergar pela Fé minha vitória e o realizar dos meus sonhos. Vamos juntas? Será um prazer ter você comigo nessa caminhada! Que o Senhor nos faça mulheres cheias de Fé e Poder, conforme a palavra Rhema que Ele tem para cada uma de nós! Amém!#